Amores mortos

Discutimos tatuagem enquanto deveríamos discutir questões mais importantes. Como o fato de que eu preciso ir, de que você tem que ficar e que talvez o momento não seja hoje. São sempre brigas diárias, tão desnecessárias.

Eu assumo que sou incompetente sobre relacionamentos. Ainda não aprendi a me relacionar. Minha mãe diz que “quando um não quer, dois não brigam”. Tão óbvio e tão difícil. Acho que não aprendi a ser bom para o outro, sempre.

Eu me magoou. Magoou o outro. O outro me magoa.

E de magoa em magoa, o amor se afoga… e morre.

Sim, amores morrem. Tudo morre!

As vezes o velório dura semanas, as vezes meses.

Conheci casais que velaram um amor morto por anos.

Mas uma hora é preciso enterrar. E em todos os momentos dói, mas nesse mais. Como Djavan diz “amar é quase uma dor”…

Mas deixe estar… dias melhores virão pra você e pra mim… só não virão pra nós.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s