Impressionante como você sorri com a inocência de quem não sabe que tem o sorriso mais lindo do mundo.

Doido como você não tem noção de como consegue desestabilizar qualquer um com esse seu olhar que demora.

Me lembra alguém que vive por aí, distraído entre texturas de pedras, o gosto da boca, as muitas cores da flor, o cheiro do cabelo, a lealdade dos cães, a sarda no ombro, o luar do verão, o abraço que aperta, a brisa que acaricia…

Você é como uma antena, um para-raio que capta apenas coisas raras para então mergulhar de cabeça. As vezes a água é rasa e você se machuca. Faz parte. Noutras, a viagem é tão profunda que você só consegue olhar para cima e agradecer. Puro êxtase.

Ver você viver é como ler um poema.

Que o acaso te proteja.

– oemquepensar